quinta-feira, 7 de março de 2013

Um dia teria de ser o teu dia... Obrigada!

video

Confesso que não sei muito bem como começar, sou principiante nesta tarefa que me foi concedida pelas meninas responsáveis pelos sítios internáuticos. Confesso também que não esperava por esta responsabilidade tão grande e ao mesmo tempo tão gratificante para mim. Mas cá vai…

No momento em que te conheci, já há muito que eras parte integrante deste grupo e desde sempre falaste e admiraste as Mondeguinas como se da tua família se tratasse. Foi por esse espírito que transmitiste que me fez querer experimentar, ver com os meus próprios olhos, sentir todas aquelas emoções que retratavas com tanto carinho.
De todas as caras novas só chegaram até mim elogios e palavras de muita amizade sobre ti, a tua presença, a tua dedicação, o teu amor que sempre demonstraste ter por todas nós.
Neste grupo cresceste como qualquer uma deve crescer e deste o teu contributo em todas as etapas, para que todas juntas saíssemos vitoriosas! Estiveste sempre presente nos momentos de grande alegria e importância e de alguma forma eles ficarão para sempre na nossa memória. Com palavras de ânimo, conforto e coragem estiveste também nos mais difíceis.
Tenho em ti um verdadeiro exemplo, aprendi contigo toda a força e vontade que ainda hoje tenho em mim e que nunca me faz desistir dos meus sonhos. Foste sempre incansável para que todas se sentissem bem e integradas no grupo, ensinaste o que sabias e o até o que não sabias!
Não existem palavras que descrevam os momentos passados contigo e que nunca eu nem qualquer uma de nós irá esquecer, ficas no coração de qualquer um… Mas a vida é feita de todos esses momentos, sem eles não seríamos felizes… É também feita de fases e eis que termina mais uma bastante importante na tua vida de estudante. Depois de esforço, empenho, luta e dedicação alcanças um dos grandes objectivos que é terminar o teu curso e com ela chega também a altura de dizer adeus ao traje, à cidade e aos colegas e amigos…

Chegou a noite do teu rasganço! Sempre te envolveste ao máximo a organizar fosse o que fosse, logo esta ocasião não seria diferente e reuniste familiares, amigos, colegas, conhecidos e desconhecidos às 00h do dia 28 de Setembro do ano de 2012, junto à porta férrea. Juntos, num misto de grande alegria e tristeza soltámos umas quantas lágrimas e despedimo-nos assim do teu belo traje honrando a tradição Coimbrã como sempre fizeste.
Resta agora desejar-te a maior e melhor sorte do mundo nesta nova fase de sereia e dizer-te que estás e estarás sempre no nosso pensamento, tenho a certeza que tens no teu coração um bocadinho de todas nós e que recordarás as Mondeguinas sempre com grande amor e carinho. Obrigada por tudo minha querida Mary…



Serás sempre Mondeguina, estaremos contigo para sempre!

Beijos gigantes com saudade!...


Crim 

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Por tudo, Obué!


video

A vida não pára! A Terra não deixa de andar à volta do Sol, o rio não deixa de correr para o mar, as cidades não deixam de crescer e as pessoas não deixam de envelhecer. A vida é mesmo assim, é feita de mudanças.

Este momento é a marca de mais uma mudança na tua vida: Deixaste de ser estudante de arquitetura e passaste a ter o estatuto de arquitecta  E nós, nós aqui estamos muito orgulhosas por ti e queremos dar-te os parabéns por esta tua vitória.

As mudanças não são fáceis, custa deixar os sítios onde estávamos habituados a estar e as coisas que estávamos habituados a fazer. É por isso que estes momentos são importantes. São importantes para recordar o que de melhor e de pior se viveu, porque esta retrospecção faz-nos sentir mais preparadas para dar o novo passo. Então, nestes momentos, vem-nos à memória um conjunto de imagens da nossa vida de estudante universitário, como se fosse uma realidade já distante. A Universidade não forma só doutores e engenheiros, forma pessoas, e por isso, fora das aulas, dos exames e das noites em branco a acabar projectos, há toda uma vida a acontecer tão ou mais importante que o resto. E é aqui que nós entramos, porque foi aqui que nos encontrámos. E então recordamos a música, as notas melodiosas e também aquelas que saíam ao lado; os ensaios na Casa da Cultura e os momentos mais descontraídos no Couraça; o nervoso miudinho antes das actuações mais importantes e os sorrisos na cara quando, em palco ou no meio da rua, mostramos aquilo que tanto gostamos de fazer; os copos de plástico ora cheios, ora vazios; galinhas pernetas, caloiras a fazer o passo; momentos em que brilhámos, mas também aqueles em que fizemos asneiras. E tudo isto fica carinhosamente registado na memória para que possamos voltar a relembrar mais tarde.

Nós por aqui vamos continuar a mostrar ao mundo quem são as Mondeguinas, não da forma que tu mostraste, mas garantidamente com a paixão que nos transmitiste. E recordamos sempre uma Obué com a sua flauta transversal, a capa rasgada ao meio, mas sempre “vestida” de uma forma tal que ninguém se apercebia e um malmequer na orelha que diz muito da dedicação e o amor que sempre tiveste pelo grupo e que é para nós uma grande referência.

Foste Sílfide, Ondina, Mondeguina, foste artístico e foste Mondonga e agora ganhaste escamas e és mais uma Sereia desta grande família. Porque é mesmo assim… A vida não pára! A Terra não deixa de andar à volta do Sol, o rio não deixa de correr para o mar, as cidades não deixam de crescer e as pessoas não deixam de envelhecer. A vida é feita de mudanças.

Um grande beijinho e as maiores felicidades,
Tricana

domingo, 30 de setembro de 2012

Novo CD, "Da Saudade"

 O Sonho ganhou vida... A 29 de Setembro de 2012, as Mondeguinas apresentaram o seu segundo álbum, "Da Saudade". Com ele juntamos mais uma vitória aos 19 anos de História deste grupo. Foi um longo caminho precorrido, muitas horas de dedicação a fundo, para ver imortalizado o trabalho de gerações de Mondeguinas. 

Com grande orgulho, damos a conhecer este CD, composto de temas originais e populares portugueses, que conta um pouco da nossa história mas também divulga a vastíssim
a cultura musical portuguesa. Desde o Minho à Madeira, à história de Pedro e Inês, as serenatas à janela e muito mais, "Da Saudade" retrata a dedicação de um grupo. Um grupo de amigas, um grupo de mulheres empenhadas a elevar sempre mais alto o nosso estandarte!

A apresentação oficial do nosso novo álbum teve lugar no Café Santa Cruz, que se encheu de rostos bem dispostos, para uma noite que apenas podemos descrever como mágica! Entre sorrisos e mesmo algumas lágrimas, levamos o público numa viagem em forma de medley, para abrir o gostinho às surpresas que "Da Saudade" guardava! Foi muito bom contar ainda com todas as nossas queridas Sereias, que viajaram de toda a parte para estarem presentes, pois esta vitória é de todas nós!

Obrigado pelo apoio, pelos contributos que levaram à concretização de um sonho! Obrigado por levarem a nossa música, a nossa voz.

Obrigado pelo carinho com que recebem as "meninas de malmequer da orelha".

Para vós, "Da Saudade"

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Parabéns Mondeguinas!!




Dizem que é preciso sonhar primeiro, que depois alcançamos tudo o resto... Basta crer e querer!Mas acreditar num grupo e levá-lo a bom porto, nem sempre é fácil e quantos são os que fracassam... Na verdade é preciso mais que acreditar. É preciso união, companheirismo, força de vontade e remar contra mil marés que se atravessam!


Mas desde o início da sua história, as Mondeguinas conseguiram ser assim, e muito mais. Acolheram todas as que quiseram fazer parte de um jardim onde florescem as mais belas amizades. Uma família onde há lugar para qualquer uma... e aqui sim, basta querer ser! 
Nada mais me apraz que escrever este texto, em nome das Mondeguinas. Porque hoje, mais que qualquer outro dia do ano, estamos em festa! Celebrar 19 anos de canções, de viagens, de festas, de sorrisos, de alegrias! 

Mas também de adversidades, de obstáculos, de momentos menos bons. Momentos estes que nos fizeram crescer e querer ser mais, fazendo ouvir a nossa canção, canção de Coimbra, canção do Mondego, canção das suas Ninfas. Ninguém lhes fica indiferente. 

As Mondeguinas cultivam sorrisos nas caras dos amigos, animam qualquer olhar mais tristonho, dão uma alma nova onde quer que passem! As Mondeguinas são um grupo que se entregou a estes ideais de coração aberto, pronto a viver Coimbra de uma maneira especial.

E dizem as sereias, que no recordar de tempos que por aqui viveram, as Mondeguinas têm um lugar especial no coração! 
Mondeguinas é para sempre, acredito!

Neste dia especial, obrigado a todas e todos os que contribuíram para 19 anos tão ricos e absolutamente fantásticos! 

Obrigado àquelas que em pleno ano de 1993 ergueram o punho e lutaram por um lugar! Obrigado àquelas que nos anos seguintes conseguiram levar para a frente e deixar que chegássemos hoje, 17 de Maio de 2012, com um grupo que é praticamente uma família que nos acolhe nesta cidade tão mágica! Obrigado! 

Parabéns Mondeguinas, Ninfas do Mondego!

"As Ninfas para mim cantaram 
No ar ecoaram vozes cristalinas
Gritaram no escuro da noite 
Nunca te esqueças das Mondeguinas" 

Um grande FRA! 
Rato 

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Mondeguinas na Noite dos Horários

video

Como é já sabido, a Noite dos Horários é um dos convívios estudantis de Coimbra mais conhecidos.

Tem a sua origem na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra em que os alunos tinham de se inscrever presencialmente nas turmas. Como a inscrição nas turmas era limitada a um número de vagas reduzido, os estudantes faziam fila logo de manhã no primeiro dia da inscrição para serem dos primeiros a escolherem e ficarem com uns horários melhorzitos! Com a abertura de novos cursos na FEUC, o número de alunos aumentou e a malta começava a reunir-se logo na noite anterior para guardar lugar na fila.
E o que melhor fazem estudantes de Coimbra, todos juntos numa noite na Faculdade? Ora pois um convívio. Os núcleos montavam barraquinhas com comida e bebida para ninguém esmorecer. Com o passar dos anos, este ritual foi dando lugar à tão conhecida Noite dos Horários, que tem sido realizada em vários locais, como Escola José Falcão, Theatrix, e outros...

Este ano, as Mondeguinas marcaram presença neste evento, na Praça da Canção, dia 8 de Março de 2012!

Começamos com um animado jantar, juntamente com os nossos já conhecidos amigos do Coral Quecofónico do Cifrão!

Depois, lá seguimos todos juntos para a Praça da Canção!

Afinadas as vozes e instrumentos, subimos a palco para mais uma brilhante e super animada actuação, com direito a um "Parabéns a você" para a nossa Mondonga!

O público cantou, dançou e aplaudiu, o que nos transmitiu bastante conforto e orgulho em estarmos presentes pela primeira vez na Noite dos Horários e sermos tão bem recebidas!

Finalizada a actuação, a noite estava longe de acabar!

O Coral Quecofónico do Cifrão subiu também a palco, cantando e encantando donzelas com as suas serenatas e canções tão animadas como eles!

E por ali fomos ficando, para mais uma noite de convívio, tão animada e memorável!

Agradecemos à organização da Noite dos Horários pelo convite! Esperamos estar presentes na próxima!


Rato

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Obrigado por tudo, Jones!

video

Jones…minha…

Desde já, peço imensa desculpa pela demora…. A organização blogueira das Mondeguinas já me pediu há MUITO tempo isto, mas já sabes como é!

Nem sei bem o que escrever, para ser sincera, passam neste momento tantas coisas por mim quando penso que tenho de escrever sobre ti, mas nenhuma delas é capaz de se resumir em palavras. E foram tantas as coisas que tive o prazer de viver contigo nas Mondeguinas que gostava de por isto em palavras.

Para mim foste sempre um exemplo desde caloira. Deste uma dedicação a este grupo sem precedentes, sempre sem hesitar qualquer momento. Como Mondeguina, debateste-te contra tudo e contra todos para levar este grupo para a frente, marcaste sempre a tua posição como ninguém, dentro e fora do grupo, as tuas fortes convicções ajudaram-nos a crescer cada vez mais. Já para não falar da excelente Presidente que foste, sempre ali a bater o pé a defender as Mondeguinas venha quem viesse! Ah… e a chegar a horas aos sítios, que também foi uma grande vitória :P E como artístico, foi um prazer partilha-lo contigo! Conseguiste trazer a Senhora do Almortão para o palco, que estava esquecida por entre as inúmeras pastas daquele armário. Lutaste sempre para a qualidade musical deste grupo nunca se perdesse….enfim… foste uma Mondeguina exemplar, as Mondeguinas não seriam as mesmas hoje sem a tua passagem por cá.
A tua força de vontade e iniciativa foram incansáveis com este grupo! Estavas em tudo, seja para sair, divertir e andar a tocar por aí, seja para ir a reuniões chatas, ter de responder pelo grupo, nunca disseste que não a nada que as Mondeguinas precisassem de ti!
E por fim, sim, porque ainda não acabou, muito merecidamente foste Mondonga-Mor! Foi com imenso orgulho que eu te vi nesse cargo quando cheguei do Brasil, uma das pessoas que cresceu comigo dentro deste grupo e nesta vida académica, e que esteve sempre presente nos momentos importante, agora era a MINHA Mondonga-Mor, mesmo um orgulho que não tens noção. E com mais orgulho foi ainda receber este cargo vindo de ti! 

Mas esta fase da tua vida acabou e não te podíamos deixar ir embora sem te rasgares! Como nunca mais te decidias com a data, marquei-o eu, sem tu saberes, com preciosa ajuda da Muppie.
Quando entraste no Couraça e eu disse: BENVINDA AO TEU RASGANÇO, a tua cara é algo que nunca vamos esquecer! Até confirmares pela milésima vez se eu estava a falar a sério ou não, não acreditavas que te estávamos a fazer isso, foi lindo. Foste sempre uma pessoa muito especial nas Mondeguinas, não fazia sentido ires embora sem um rasganço ao mesmo nível 

A meia-noite estava a chegar, o teu traje já não nos dava grandes resistências, lá fomos nós para a Porta-Ferrea, na penumbra daquela noite para o tão esperado momento, e por fim, foi entoado o canto da despedida e desfeito aquele que te acompanhou durante esta longa caminhada a tua vida!

Bem, foi um prazer compartilhar contigo esta vida mondeguinica!
Acabou uma etapa da tua vida mas começou outra bem melhor e que muito sucesso vai ter, tenho a certeza!
Obrigado teres dado a este grupo sempre o melhor de ti!

Beijo grande minha vaca! (desculpem, mas teve que ser) :P
As saudades já apertam!
Obué

PS: Não sei percebeste o esforço que tive de fazer durante todo o texto para não te chamar nomes e isto ser uma coisa séria, é bom que leves isso em atenção! Ah, e desculpa também o cliché da música do vídeo, mas como era para ti não fazia sentido ser outra.

domingo, 11 de março de 2012

"Assim me despeço, sempre!, com amizade, Indie* "

video

Tenho que começar este texto com um pedido de desculpas! Já passaram dois meses e eu sem ter escrito isto, apesar de pensar todos os dias neste texto.

No fundo não é fácil e talvez nem devesse ser eu a escreve-lo. Mas quis ser eu, por razões que vais perceber quando leres até ao fim.
Estas palavras são para ti Indira, Drª Marta Brás!

O dia do rasganço, eu posso apenas imaginar que seja um turbilhão de emoções. Tantos risos como lágrimas, mas que vale a pena. Deixar um pedacinho do traje que te acompanhou em tantas aventuras. Realmente, “ficas tu por ai”.

Eu não estive presente no teu rasganço, o dia que te despediste de Coimbra aos olhos de estudante. Mas no meu coração estive lá. Porquê? Porque pessoas especiais, apesar de longe, levamo-las sempre connosco.

E é assim que tu levas as Mondeguinas. Não vais estar lá, mas é como se nunca partisses.
Descobriste, como todas nós, um grupo de amigas, que estão sempre para ti, no bom, no mau.

Dedilhando as cordas da tua guitarra, tocaste sonhos e melodias mágicas que acompanharão a tua vida. Cantaste ao vento as mais belas canções de vida que cimentaram amizades e tantas histórias que vais contar e recordar com ternura e saudade.

Nos maus momentos, encontraste conforto. Um porto de abrigo onde todos os problemas se evaporam e é como um novo começo.

Agora és sereia mas sabes que, a partir do dia em que entraste na Casa da Cultura és Mondeguina sempre. O malmequer vai estar sempre lá, todas nós vamos estar sempre lá.
E todas as vezes que voltarmos a esta cidade fantástica, vamos cantar e tocar a saudade e celebrar a amizade que une um grupo que muda a nossa vida! Os disparates tão espontâneos e divertidos, longas conversas em que nos perdemos no tempo, entre um copo e outro, mais uma música, mais um sonho!

Indira, és um exemplo de Mondeguina, alguém que de tão simples e delicada consegue ser grandiosa e uma grande mulher. E agora despedes-te, “sempre com amizade, Indie!”
Resta-me desejar que a tua vida seja tudo o que sempre desejaste. No que conta às Mondeguinas, são para ti!

E desculpa todos os ensaios em que aturaste a minha flautinha irritante, mas se não fosse assim, era menos uma história para contar!

Beijinhos e saudades sempre,
Rato *